29 de julho de 2014

Dezessete-Sangue e lágrimas

Desde nossa magnífica viagem até o Havaí, já se passaram dois meses. Minha vida deu um giro de 360° e agora minha rotina é totalmente diferente. Acordo cedo todos os dias para preparar o café da manhã, logo após, levo Zac para fazer a fisioterapia, por volta das 14h00min voltamos para casa, onde descansarmos e aproveitamos para namorar. Às 17h00min, levo-o para a aula de natação, que faz parte do tratamento e só à noitinha voltamos para casa.

Basicamente meus dias se resumem a isso. Está sendo difícil, mas sei que no final tudo vai valer a pena. Hoje Zac não quis ir à fisioterapia. Querem saber o por quê? Bom, ontem ele começou a tentar andar. Ele estava indo bem, mas de repente, não aguentou seu peso e desabou no chão. Ao vê-lo caído não aguentei e comecei a chorar, e quando me aproximei dele, ele “explodiu”.

#FLASHBACK

-Tá vendo Vanessa? É por isso que não quero que você fique comigo. Só faço merda. Só te faço chorar! Nunca mais conseguirei andar, vou ser pra sempre um inútil. Você deveria procurar alguém que você realmente mereça.

Ele estava chorando inconsolavelmente. O fisioterapeuta me ajudou a levantá-lo e a sentá-lo na cadeira de rodas.

-Amor, não fala isso! Eu não vou te deixar. Só chorei porque fiquei com medo de que você tivesse se machucado.

-Senhor Zac, não diga que não voltará a andar. Você está progredindo bastante, tenho certeza que logo conseguirá dar seus primeiros passos sozinhos.

-Eu não quero mais essa droga de vida!

Ele estava alterado. O doutor Logan - vulgo fisioterapeuta- disse que já podíamos ir embora. Quando chegamos, Zac quis ficar sozinho no quarto e, do lado de fora, eu ouvia ele chorando e gritando horrores sobre sua vida.

#FLASHBACK

E foi isso que aconteceu. Já se passaram horas e ele ainda está trancado no quarto até agora. Na casa, um silêncio assustador . Só se ouvia o ruído do vento soprando as persianas da sala. De repente, ouvi um enorme barulho. Meu coração gelou e mais que depressa corri para o nosso quarto. Quando abri a porta, me deparei com a pior cena de todas.


O espelho do banheiro todo espatifado no chão, e Zac caído sobre ele e com um caco de vidro nas mãos. Consegui ver o sangue jorrar de seu pulso e de sua cabeça. Não podia ser. Ele não podia ter feito isso!
___________________________________________________________
Aí está mais um micro capítulo para vocês.Me desculpem  por minha falta de criatividade, eu realmente tô sem ideias :'( Prometo que vou tentar melhorar. Paula,Thata e Anne valeu por estarem sempre aqui comentando os capítulos,mesmo que estes estejam horríveis. Amo vocês, meninas!!!